10 março 2014

Você já ouviu falar da síndrome do bebê sacudido?

Conheça a síndrome do bebê sacudido

Ela existe e ocorre quando são feitos movimentos abruptos. Saiba como evitá-la ou tratá-la

Não é mito. A síndrome do bebê sacudido existe e ocorre quando a criança passa por movimentos abruptos quando sustentada pelas extremidades ou pelos ombros, que podem alterar a coluna com traumas na região cervical do bebê e causar sangramentos – tanto hemorragias retinianas (nos olhos), quanto cerebrais.

Em geral a síndrome é verificada em crianças abaixo dos 2 anos, principalmente em bebês menores, porém crianças de até 5 anos podem manifestar o distúrbio, segundo a pediatra Gislayne Castro e Souza de Nieto, chefe da UTI do Hospital Santa Brígida e presidente do Departamento de Neo­natologia da Sociedade Para­naense de Pediatria.

 “Não existe uma medida para a força que pode ser utilizada ao chacoalhar um bebê, mas se ele não tiver bom tônus (contração pequena do músculo quando está em repouso) isso pode causar traumas na região cervical”, diz ela, apontando que é importante não jogar a criança para cima ou erguê-la pelo braço em movimento de chicote. “Porém, na maioria das vezes isso não ocorre em brincadeiras, mas em episódios de violência familiar, quando os pais não aguentam o choro do bebê e o chacoalham”. 
“Não existe uma medida para a força que pode ser utilizada ao chacoalhar um bebê, mas se ele não tiver bom tônus (contração pequena do músculo quando está em repouso) isso pode causar traumas na região cervical."

Gislayne Castro e Souza de Nieto, chefe da UTI do Hospital Santa Brígida e presidente do Departamento de Neonatologia da Sociedade Paranaense de Pediatria.

Em relação ao choro, muitas vezes pais que chacoalham seus filhos atribuem a isso o fato de conseguirem com que eles parem de chorar e durmam. “Mas muitas vezes elas ficam sonolentas não por causa do chacoalhão, mas por que desenvolveu-se um pequeno edema cerebral”, diz o perito criminal do Instituto Médico Legal de Santa Catarina e dermatologista Marcelo Francisco dos Santos. “Estima-se que de 100 mortos por violência, 13% sejam pela síndrome”, diz ele.

Sintomas
 Quando a criança sacudida chega ao médico, o profissional consegue verificar se existe a síndrome caso consiga observar se ela demonstra muita irritação, se há crises convulsivas eventuais, hemorragia retiniana, ou se há traumas, hematomas e fraturas inexplicáveis. 

Nos Estados Unidos, o maior número de atingidos por esta agressão são meninos, abaixo de um ano de idade, sendo que até 30% têm chance de morte, segundo Gislayne. “Para os que sobrevivem, o trauma pode alterar o desenvolvimento cognitivo e intelectual, além de influenciar na capacidade visual, dependendo do grau, duração e do local da lesão”, diz ela.

Fonte: http://www.gazetadopovo.com.br/

0 comentários:

Postar um comentário