27 junho 2014

TDAH - Tanstorno do déficit de atenção e hiperatividade



É um transtorno neurobiológico, com forte influência genética, que se inicia na infância e pode ir até a fase adulta. Caracterizado por distração, agitação, hiperatividade, impulsividade, esquecimento, desorganização, pessoas com tdah - déficit de atenção e hiperatividade tem dificuldade de manter a concentração, costumam ser agitadas e tem problemas para fazer coisas até o final.

Difícil que permaneçam sentadas; brincam por espaços curtos de tempo; tem dificuldade de seguir uma simples ordem, brincam de forma desordenadas e mais escandalosa que as outras crianças.

Falam o tempo todo e interrompem os demais, realizam atividades perigosas sem pensar no perigo, brincam de forma agressiva, dificuldades em esperar a vez, tem poucos amigos e ficam irritados por pouca coisa.

Encontrar estes sintomas em crianças e adultos é comum, mas quando se trata de transtorno as queixas são frequentes e os sintomas mais intensos, existe o diagnóstico e tratamento para tdah que pode prevenir e aliviar o sofrimento.

A maioria das vezes só aparece quando vai para a escola, porque a criança precisa ficar mais quieta e seguir as regras, são os professores que geralmente identificam algum problema com esta criança.

Meu filho foi para primeira série, para uma nova escola e uma nova fase das nossas vidas, decidimos que ia para uma escola particular, procurei uma que o número de criança fosse menor e nesta escola tinha um psicólogo, fui conhecer a escola e conversar com o diretor.

Contei toda a situação que ocorreu nas outras escolas, não escondi nada e o mesmo me tranquilizou, dizendo que a escola estava de portas abertas para ajudar o Tiago, colocou-se a disposição da psicóloga para marcar uma hora e ela poderia ir até a escola.

O coração de mãe ficou mais tranquilo e uma esperança no fim do túnel, pois a terapeuta me avisou que a mudança da escola poderia causar alguns problemas de adaptação, então precisaria intervir junto a escola.

Começaram as aulas, duas semanas depois  a professora quis conversar comigo, não entendi as reclamações dela sobre o Tiago pois já tinha passado toda a situação para o diretor e a orientadora pedagógica, parecia que eu não tinha falado nada.

Conclusão a professora não foi informada da situação e não estava preparada, as escolas não estão capacitadas para receberem os alunos que saem do padrão normal do dia a dia.

Escola ideal para o TDAH:

Não existem escolas para crianças com TDAH, mas tem algumas escolas que as recebem  e montam planos de intervenções junto a este aluno.
  
  • A escola necessita estar próxima a família, ela não pode ignorar o TDAH, seus limites e como age, mas deve fornecer um complemento de educação que a criança possa acompanhar a matéria de forma criativa e dinâmica.
  • O conteúdo pode ser igual, mas a forma de passar é que precisa ser diferente, na sala de aula o professor não pode permitir a competitividade, deve respeitar o aluno valorizando suas diferenças individual e o lado humano das relações.
Resolvi procurar um psiquiatra levei os relatórios das escolas e ele fez algumas perguntas, o diagnóstico ia depender das minhas respostas, depois de analisar o resultado o médico falou que ele tinha tdah com hiperatividade e impulsividade.

Já tinha passado por vários profissionais sem nenhum resultado e o psiquiatra passou um tratamento com remédio, a partir daí a terapia ia começar ter resultados no ambiente escolar e em outros.

Infelizmente com tantos avanços agora disponíveis sobre o tdah ainda há uma série de equívocos e informações imprecisas impedindo que a maioria das crianças atinjam seu potencial e uma qualidade de vida.

Nosso dever como pais e profissionais é compreender essas crianças e encontrar formas para ajudá-las a serem bem sucedidas. O tratamento eficaz para este transtorno também inclui a educação, terapia, apoio em casa e na escola.



Fonte: http://www.dda-deficitdeatencao.com.br/tdah/tdah.html
http://www.aprendercrianca.com.br/index.php/tdah/62-o-impacto-do-tdah-na-sala-de-aula


0 comentários:

Postar um comentário