20 maio 2015

O professor uma figura importante na vida da criança com TDAH

Gostaria de partilhar com vocês esta publicação falando do papel do professor na vida das crianças com TDAH, quando conversamos com o professor , temos a esperança que ele vai entender e ajudar a criança, mas infelizmente na maioria das vezes não é assim que acontece.

Na minha vida e a do meu filho só estou deparando com professores que acabam rotulando-o de preguiçoso ou sem educação, com críticas severas e muitos castigos, achando que isso vai melhorar o comportamento da criança, que falta pulso firme dos pais.

Vimos em vários artigos que o TDAH “O Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade, é um transtorno de desenvolvimento do autocontrole que consiste em problemas com os períodos de atenção, com o controle de impulso e com o nível de atividade” (BARKLEY, 2002, p. 35).

O TDAH prejudica a criança no ambiente escolar, na convivência com sua família e em sua comunidade. A pessoa que apresenta esse transtorno geralmente tem graves problemas de relacionamento com professores, colegas e familiares, consequentemente o portador do TDAH se sente excluído e, na maioria das vezes, não entende o que está acontecendo.

Segundo Barkley (2002), o sucesso escolar de um portador de TDAH depende do professor, e não do programa escolar em que ele está inserido ou da localização da instituição de ensino ou ainda se a escola é pública ou privada, antes de tudo está o professor, a sua experiência sobre o TDAH e a boa vontade de entender a criança.

Os professores, geralmente, respondem aos problemas desafiadores exibidos pelas crianças com TDAH passando a ser mais controladores e autoritários com elas. Com o tempo, suas frustrações com tais crianças podem torná-los ainda mais negativos com suas interações. A insegurança na relação professor-criança afeta a adaptação da criança portadora de TDAH a longo prazo, mostrando que ela certamente pode piorar as suas já tão pobres conquistas sociais e acadêmicas, reduzindo sua motivação para aprender e praticar na escola e diminuindo sua autoestima. Isso tudo pode resultar em insucesso e abandono da escola (BARKLEY, 2002, p. 235).

A situação é muito séria, não sabemos as vezes que rumo tomar, a escola age como se não tivesse responsabilidade nenhuma na vida da criança, acaba não atendendo as necessidades desta criança e como vimos acima acarreta mais ainda o problema.

Por favor deixem seus comentários, sugestões e se quiserem partilhar também a sua situação fique a vontade.



0 comentários:

Postar um comentário